Você foi abrir uma conta em um banco e não conseguiu? Solicitou um empréstimo e ele foi recusado? Um dos motivos que têm como consequência este tipo de situação é a restrição no CPF, popularmente conhecido como “nome sujo”.

O Cadastro de Pessoa Física é um documento emitido pela Receita Federal, com 11 dígitos e que serve para identificar os contribuintes. Quando há alguma pendência no seu nome, como uma dívida ou um protesto no cartório, por exemplo, significa que o seu CPF está com restrições.

Ou seja, quando algum CPF tem restrição, significa que há dívidas associadas a ele e, por esse motivo, a pessoa não tem crédito. Dessa forma, ela é impedida de parcelar compras, abrir contas bancárias, fazer empréstimos, entre outras coisas. Isto só é resolvido quando a dívida é paga.

Muitas pessoas só tomam conhecimento que o seu CPF está com restrição quando vão tentar fazer uma compra e não conseguem. Porém, é possível consultar de forma gratuita a sua situação na Receita Federal pelo site https://www.serasaconsumidor.com.br/consultar-meu-cpf/ . Caso você descubra algum débito em uma de suas consultas, veja abaixo como fazer para regularizar o seu CPF.

Como regularizar o seu CPF?

O primeiro passo para a regularização do CPF é quitar a dívida. Para isso, é preciso fazer uma conciliação, em que você entrará em contato com a empresa ou instituição financeira com que você tem a pendência para negociar o valor do débito. Os pagamentos podem ser feitos a vista ou parcelados (neste caso, preste atenção nas taxas de juros cobradas!).

Quando o valor é quitado ou renegociado, o próprio credor é quem deve solicitar a retirada do CPF do banco de dados de dívidas, como Serasa, SPC e SCPC. Dessa forma, com a pendência regularizada, o consumidor voltar a ter seu “nome limpo” no mercado.

Para comprar qualquer tipo de imóvel, é imprescindível que o seu CPF esteja sem restrições, pois só assim você conseguirá empréstimos ou financiamentos. Por isso, antes de pensar me fazer qualquer negócio, consulte a regularidade do seu CPF.